Acesso à 1ª Prioridade – “O princípio de igualdade por prestarmos um serviço público de Educação”

Posted: 2012/02/20 in Notícias

Caros associados, Caros professores

É com sentido de trabalho realizado que hoje sentimos e partilhamos ânimo ao comunicar a todos que um grande passo foi dado no reconhecimento do serviço público de educação realizado por nós e pelas escolas onde trabalhamos.

A direção da APEPCCA, como é do vosso conhecimento, dedicou este último ano a fazer voz pública da injustiça cometida para com os professores que representa. Reuniu, debateu, apresentou propostas, esclareceu, participou e manifestou aquela que é, para nós, uma ação de elementar justiça, a permissão a conceder aos professores das escolas com contrato de associação para que possam concorrer em primeira prioridade.

Este foi o fim-de-semana em que recebemos a notícia da intenção do Governo em garantir este acesso aos professores que representamos. Brevemente seremos recebidos no MEC (Ministérios da Educação e Ciência) onde reafirmaremos que o reconhecimento agora iniciado seja concretizado com sucesso.

Caros associados, caros professores, esta é a prova e a certeza, de que o nosso trabalho pode dar frutos, que só podem ser garantidos com o vosso apoio, com a convicção firme de que trabalhamos em nome de todos. É por isso que voltamos a lembrar a importância da atualização das vossas cotas e/ou da vossa inscrição como associados, para que a APEPCCA continue a ser uma associação forte na ação e na representação de todos nós.

Obrigado pelo vosso apoio.

Juntos podemos vencer!

A Direção da APEPCCA

Nota: Abaixo transcrevemos o número 2, artigo 10º, da proposta do MEC para os concursos, salientando a parte que nos diz respeito:

 “2 — Os candidatos ao concurso externo são ordenados, na sequência da última prioridade referente ao concurso interno, de acordo com as seguintes prioridades:

a) 1.ª Prioridade  — indivíduos qualificados profissionalmente para o grupo de recrutamento a que se candidatam, que tenham prestado funções docentes, em horário anual e completo, em quatro dos seis anos letivos imediatamente anteriores ao da data de abertura do concurso em agrupamentos de escolas ou escolas não agrupadas integrados na rede de estabelecimentos públicos de educação pré-escolar e dos ensinos básico e secundário do Ministério da Educação e Ciência ou em estabelecimentos com contrato de associação;”

Comentários
  1. Joao Paulo Moinhos diz:

    Quero dar os meus parabéns por todo o trabalho desenvolvido até à data pela APEPCCA, representando e promovendo os professores do Ens. Part. e Coop. com Contrato de Associação.
    O meu muito obrigado àqueles que por nós têm oferecido o seu tempo e o seu esforço.

    João Paulo Moinhos

  2. david macedo diz:

    É muito gratificante ver um grupo de professores que tem dedicado muito do seu tempo a defender os professores que trabalham nas escolas com contrato de associação.
    Ao serem recebidos pelo MEC, vieram convictos que a primeira prioridade é para levar para a frente. Há muitas vozes discordantes que tem feito chegar os seus desabafos ao Ministério. Está na hora de todos os professores se juntarem e fazerem o mesmo, mas pela positiva. Dizer ao ministério que estão no bom caminho e que temos o direito a concorrer em pé de igualdade com os nossos colegas do público, porque o serviço que temos prestado é sem dúvida um valioso serviço público. Somos todos portugueses…
    TODOS A ENVIAR O SEU COMENTÁRIO AO MINISTÉRIO EM DEFESA DESSE DIREITO…

  3. EC diz:

    Penso que nunca é demais reforçar que devemos TODOS estar muito gratos aos colegas que, incansavelmente, se dedicaram à defesa da nossa causa. O meu muito obrigada…
    Quero solicitar a todos os colegas que se juntem a nós e que partcipem ativamente nos blogues de discussão, nos chats e que demonstrem a todos que não estamos a pedir nada a que não tenhamos direito e que se há situações de injustiça (que as há) nós seremos, porventura, as maiores vítimas delas. Afinal, em que falhamos? Prestamos ou não desde sempre um serviço público de educação?

    Força! Não podemos desistir!

    • educarportugalDabide martins diz:

      Entendo as intenções da APEPCCA, mas não concordo com elas… nem me parece que alguém de bom senso possa concordar.
      Se de facto, se entende que esses professores possam estar em igualdade de circunstâncias no concurso, é igualmente óbvio que os horários disponíveis nessas escolas possam ser ocupados por qualquer docente, através de um recrutamento justo e igualitário (que não existe neste momento).
      Mas alguém pode achar que deve ser de outra forma (ignorando, como é óbvio, os interesses corporativos mesquinhos)?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s